Pablo Vilela

Infância entre Livros

In Outras Revisões on 12 de outubro de 2007 at 2:11 pm

lets-read.jpg

O dia de hoje faz-me recordar de um belíssimo tópico do Interlúdio.

Passei minha infância rodeado de livros, mas um de meus prediletos foi certamente este e toda a sua coleção. E o seu, qual foi?

Infância entre Livros

Heinrich Mann

Crianças aprendem a ler na presença de livros. Nenhuma pessoa tem o direito de criar filhos sem rodeá-los de livros.

Anúncios
  1. Na biblioteca dos meus pais não tinha Heinrich Mann – mas outros autores/-as bem conhecidos/-as, como os Brüder Grimm, Schiller, Goethe, Theodor Storm, Erich Kästner, James Krüss, Hildegard Diesel, Johanna Spyri etc.

    Proibidíssimos eram Mickey Mouse e compadres, na época julgados nocivos pelo bom gosto das crianças bem educadas!

    A minha mãe, ‘feminista da primeira hora’ achou muito importante de me aprovisionar com literatura descrevendo vidas de meninas e moças fortes que experimentavam diversas aventuras sem medo, como a pequena “Putzi” (5 anos, que passou três noites sozinha na escuridão de um caminhão de mudanças e das cavernas da “Schwäbische Alb”..) ou a “Rote Zora” (brava chefe ruiva de uma quadrilha de jovens em ex-Jugoslávia) ou, naturalmente, a famosa “Pippi Langstrumpf” da Astrid Lindgren que se bateu com criminosos da Suécia inteira…

    Alguém ainda se pergunta por que eu escolhei o caratê como esporte preferido…???
    🙂
    Um abraço terrível da
    Abelha Ulrike

  2. Nossa! Agora fiquei com medo de você! 😮
    Quero ver todo mundo respondendo!

  3. Você fica com medo??? Com toda a razão, Pablo…pergunta ao Celso…..!
    🙂

  4. Também passei minha infância entre livros. Aos nove ou dez anos, eu e meus dois irmãos, lemos a coleção completa da Condessa de Segyr. Lembro-me bem de dois deles “Memórias de um burro” e “Os desastres de Sofia”. Dali, partimos para a coleção de Monteiro Lobato. Lembro-me também, que aos 13 anos li um livro escondido, que meu pai estava lendo, “Admirável Mundo Novo”, de Aldous Huxley. Foi a minha experência marcante no mundo da literatura. Até hoje eu o tenho, com o nome de minha mãe.
    Eu apesar de todo esforço para introduzir este hábito na vida das minhas filhas, confesso que foi um fracasso. Mas por outro lado, minha filha compra muitos livros para meu neto de 3 anos. Desde antes de dois anos. E ele adora livros. Um daqueles casos em que a hereditariedade se passa por geração sim e geração não? Quem vai lá saber, não é?

    Pablo, este site é maravilhoso, parabéns!

    beijos

    Vera

  5. Talvez suas filhas não tenham encontrado ainda os livros certos, Vera. Já vi pessoas descobrirem depois de adultas o gosto pela leitura ao encontrar o tipo de literatura que se encaixa melhor a elas. Qualquer hora elas descobrem esse mundo maravilhoso.
    Grande abraço e obrigado pelos elogios.

  6. É Pablo talvez nisto esteja inserido o famoso Dr.Freud. Quem sabe eu demonstrei uma imperceptível ansiedade ao mostrar os livros?
    Uma outra coleção,que nós lemos e que minha mãe me deu hoje é a dos Contos de Grimm.Guardada até hoje por ela com muito amor. É realmente emocionante uma descoberta destas.
    E uma ERRATA: Condessa de Seguir.

    Beijos
    E obrigada mais uma vez pela oportunidade de belas recordações.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: