Pablo Vilela

Arte de Amar os Livros

In Outras Revisões on 7 de dezembro de 2007 at 11:59 pm

Se minha lista tivesse mais dez livros, certamente haveria espaço para Os livros nossos amigos.

Arte de amar os livros

Eduardo Frieiro

Há uma arte de amar os livros, como há uma arte de amar ovidiana, uma arte de amar o amor. Querer bem aos livros é sentimento que se parece muito com o amor dos sexos. Em ambos os casos há sensualidade e egoísmo. Não são raras as pessoas que sentem a necessidade física da leitura. O volume de prosa ou verso ocupa na vida de alguns eleitos um lugar tão importante como a mesa, o sono e o amor.

Anúncios
  1. Belíssimo texto. Esse livro está na bibliografia comentada de “A Arte da Palavra”, do Gabriel Perissé (comecei a ler ontem e recomendo, é uma leitura muito cativante). Gostei da abordagem desse trecho, diferente de outras coisas que já vi por aí. Boa dica, que já está anotada.

    Beijos e uma ótima semana

  2. Se não publicasses ainda, é hora:

    Diz a lenda que Rui Barbosa, ao chegar em casa, ouviu um barulho estranho vindo do seu quintal.
    Chegando lá, constatou haver um ladrão tentando levar seus patos de criação. Aproximou-se vagarosamente do indivíduo e, surpreendendo-o ao tentar pular o muro com seus amados patos,
    – Oh, bicéfalo anácroto! Não o interpelo pelo valor intrínseco dos bípedes palmípedes, mas sim pelo ato vil e sorrateiro de profanares o recôndito da minha habitação, levando meus ovíparos e à sorrelfa e à escapa. Se fazes isso por necessidade, transijo; mas se é para zombares da minha elevada fosfórica bem no alto da tua sinagoga, e o farei com tal ímpeto que reduzirei à qüinquagésima potência do que o vulgo denomina nada.
    E ladrão, confuso, diz:
    – Doutor, eu levo ou deixo os patos?

  3. É um livro maravilhoso esse do Frieiro, uma verdadeira ode ao livro e a todos os profissionais que dele cuidam, desde o escritor até o livreiro, passando obviamente pelo revisor. Em breve pretendo ler o Perissé. Gosto muito do que ele escreve, apesar de nunca haver lido mais que seus artigos.
    Bons tempos em que tínhamos gente como o Rui no Senado, não?

  4. […] dezembro 2007 Comprei a primeira edição de Os livros nossos amigos, de Eduardo Frieiro, ao saber que um dos capítulos foi suprimido na segunda edição. A curiosidade foi […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: