Pablo Vilela

Archive for outubro \31\UTC 2008|Monthly archive page

Gramática Cantada

In Outras Revisões on 31 de outubro de 2008 at 2:20 am

Esta canção foi-nos gentilmente apresentada pelo Davi.

Gramática

Sandra Peres e Luiz Tatit

O substantivo é o substituto do conteúdo
O adjetivo é a nossa impressão sobre quase tudo
O diminutivo é o que aperta o mundo e deixa miúdo
O imperativo é o que aperta os outros e deixa mudo

Anúncios

Abaixo o Vandalismo

In Cadê o Revisor? on 28 de outubro de 2008 at 2:37 am

A Bienal de São Paulo foi invadida. Os vândalos deixaram suas marcas nas paredes de um andar vazio do prédio. Felizmente não danificaram nada além dos olhos dos pobres visitantes.

Pelas paredes, frases de protesto entremeadas de erros de português para todos os gostos decoram o ambiente.

A organização do evento estuda pintar, por cima das pichações (que nada têm de arte), a inscrição Cadê o Revisor?

Passarela

In Outras Revisões on 25 de outubro de 2008 at 1:12 am

Passarela

Italo Calvino

A palavra associa o traço visível à coisa invisível, à coisa ausente, à coisa desejada ou temida, como uma frágil passarela improvisada sobre o abismo.

Os Caça-Livros

In Dia a Dia do Revisor on 24 de outubro de 2008 at 3:09 am

Uma graça o mais novo desenho animado da TV Cultura: Os Caça-Livros, mais uma bela indicação da Cássia.

Trata-se de um destemido grupo de aventureiros infantis que combate perigosos vilões destruidores de livros.

O primeiro episódio está disponível na página da TV Rá Tim Bum, da Cultura. A curiosidade já não se agüenta pelas próximas aventuras.

Regimes

In Hora da Leitura on 21 de outubro de 2008 at 12:28 am

Dúvida que leva muito revisor experiente a abandonar seu texto para folhear um livro de consulta é a regência. É natural ter dificuldade com o regime de nomes e verbos. Com a evolução da língua, o uso das preposições em determinados contextos varia.

É imprescindível que o revisor tenha à mão um dicionário de regência verbal (substituível pelo bom dicionário de língua portuguesa) e, sobretudo, um de regência nominal (insubstituível). Fernandes é o grande clássico. Luft é mais atual e apropriado. Na dúvida, consulte ambos.

Revisão s.f. * de: Revisão de um texto, de um plano, de um programa, etc. (…) * em: Revisão na estratégia, nos planos, nos métodos.

Celso Pedro Luft

Vende Frango-se

In Outras Revisões on 17 de outubro de 2008 at 11:19 pm

Esta crônica, muito espirituosa, sobre um anúncio supostamente encontrado nas ruas do Rio de Janeiro, foi presente da Magda.

Vende frango-se

Martha Medeiros

Não importa a localização do sujeito indeterminado. Vive-se. (…)

Vende frango-se, e eu acho graça, e achar graça é uma coisa boa, sinal de que ainda não estamos tão secos, rudes e patrulheiros, ainda temos grandeza para promover o erro alheio a uma inesperada recriação da gramática. (…) Fica aqui minha homenagem à imperfeição.

Letroca

In Dia a Dia do Revisor on 16 de outubro de 2008 at 10:52 am

Adoro jogos de toda espécie. Além de relaxar e entreter, estimulam o raciocínio, a criatividade, a capacidade de saber ganhar e perder. São tantas serventias que caberiam em um tratado.

Ademais, ainda estou em ritmo de Dia das Crianças e é por isso que falo do Letroca, um jogo simples e divertido que consiste tão-somente em formar palavras com letras misturadas. Parece fácil? Experimente.

Quem se habilitar pode tentar bater minha marca, mas atenção: comece quando previr boas horas sem compromissos importantes.

Primeira Vez

In Dia a Dia do Revisor on 14 de outubro de 2008 at 3:16 am

A primeira revisão profissional de minha vida (e lá se vai uma década) foi para um corretor. Não um corretor de textos, mas de imóveis mesmo. Ele escrevia correspondências para seus clientes e documentos cartoriais.

Escrevia mal, absurdamente mal. Eu também não era sombra do revisor que sou. Eu, um aprendiz esforçado; ele, um desconhecedor consciente. Creio que nos merecíamos.

À época, pareceu-me, pagava extraordinariamente: dez reais por página. Um investimento para ele, o triunfo para mim. Durou o tempo da certeza de que encontrara minha profissão.

Encadernação

In Outras Revisões on 12 de outubro de 2008 at 1:22 pm

Cada vez que vou a uma livraria, impressiono-me positivamente com algumas capas, encadernações e ilustrações. A estética de hoje, claro, é diferente da antiga, mas há muita gente fazendo trabalho bem-feito.

Encadernação

Frédéric Finó

Era formado pelos manuscritos de custo elevado, com bela caligrafia e ricas miniaturas, que possuíam capas de madeira incrustadas de esmalte, pedras preciosas, placas de metal ou marfim trabalhado. (…) Às vezes as encadernações eram de veludo, damasco ou seda, com ricos bordados. Os fechos, de metal precioso, de costume, gravados ou recobertos com esmalte, representavam simples desenhos ornamentais ou o escudo de armas do proprietário do manuscrito.

Doce Pronúncia

In Preciosidades on 10 de outubro de 2008 at 2:29 am

Acredito que, de tudo que nos foi tirado, é do trema que mais sentirei falta. Sempre lá, sorridente, pronto a servir e encaminhar nossos lábios à pronúncia correta.

Sweet T

Ei, Revisor

In Dica do Mês on 8 de outubro de 2008 at 3:54 am

Você sabe que vocativo, como o nome diz, é um chamamento. Normalmente, é o nome de uma pessoa, ou qualquer palavra que se use para evocá-la.

Você também sabe que vocativo vem sempre entre sinais de pontuação, geralmente vírgulas. Sempre.

Fácil? Agora junte as duas informações, que você já conhecia. Não há como errar (e erra-se tanto!).

Eleições Municipais

In Cadê o Revisor? on 6 de outubro de 2008 at 6:58 pm

Em duas cidades interioranas, fato curioso marcou as eleições. Um candidato a vereador de Gabriel Monteiro/SP e outra de Pejuçara/RS usaram o número errado em toda a sua campanha. Só descobriram a falha na hora de votar.

O candidato paulista ainda teve a sorte de ser eleito. Já a gaúcha não conseguiu mais que os votos de meia dúzia de esforçados admiradores.

Alguns dos eleitores dão conta de que, com o novo sistema inteligente das urnas eletrônicas, quando pensavam Cadê o Candidato?, a urna replicava: Cadê o Revisor?

Direito de Resposta ao Trema

In Outras Revisões on 3 de outubro de 2008 at 4:25 pm

Ofereceram-lhe, como a todo condenado, ao menos a oportunidade de pronunciar suas últimas palavras. E foi assim que ele se despediu no Brogue do Cassano.

Direito de resposta ao trema

Roberto Cassano

Não venho aqui encher lingüiça nem esbanjar uma eloqüência inconseqüente. Estou tranqüilo quanto ao papel que venho desempenhando na sociedade, da qual tenho sido vítima com freqüência de ataques.

Não sou menino. Vivi e vi muito. Desde 43 que perambulo por estradas e ditongos da vida. Que o diga o U, este grande amigo a quem não me canso de garantir que tenha voz neste mundo de crescente exclusão.

(…)

Vou-me. Partirei de volta para o velho mundo, onde ainda há espaço para tremas, lamparinas e fados tristes. Saio desta vida para a ubiqüidade.