Pablo Vilela

Gramática Cantada

In Outras Revisões on 31 de outubro de 2008 at 2:20 am

Esta canção foi-nos gentilmente apresentada pelo Davi.

Gramática

Sandra Peres e Luiz Tatit

O substantivo é o substituto do conteúdo
O adjetivo é a nossa impressão sobre quase tudo
O diminutivo é o que aperta o mundo e deixa miúdo
O imperativo é o que aperta os outros e deixa mudo

Anúncios
  1. Fora do tópico, um link pra uma coisa que eu achei interessante:
    http://queridoleitor.zip.net/#2008_11-03_13_11_47-128170460-0

    A Rosana Hermann contratou um revisor para o blog dela. Bacana, não?

  2. Muito obrigado, Maria Bonita. Bacana demais! Virou um artigo. 🙂

  3. Essa você conhece?

    Sem horas e sem dores
    Respeitável público pagão
    a partir de sempre
    toda cura pertence a nós
    toda resposta e dúvida
    todo sujeito é livre para conjugar o verbo que quiser
    todo verbo é livre para ser direto ou indireto
    nenhum predicado será prejudicado
    nem tampouco a vírgula, nem a crase nem a frase e ponto final!
    afinal, a má gramática da vida nos põe entre pausas, entre vírgulas
    e estar entre vírgulas é aposto
    e eu aposto o oposto que vou cativar a todos
    sendo apenas um sujeito simples
    um sujeito e sua oração
    sua pressa e sua prece
    que a regência da paz sirva a todos nós… cegos ou não
    que enxerguemos o fato
    de termos acessórios para nossa oração
    separados ou adjuntos, nominais ou não
    façamos parte do contexto da crônica
    e de todas as capas de edição especial
    sejamos também o anúncio da contra-capa
    mas ser a capa e ser contra-capa
    é a beleza da contradição
    é negar a si mesmo
    e negar a si mesmo
    é muitas vezes, encontrar-se com Deus
    com o teu Deus
    Sem horas e sem dores
    Que nesse encontro que acontece agora
    cada um possa se encontrar no outro
    até porque…

    tem horas que a gente se pergunta…
    por que é que não se junta
    tudo numa coisa só?

  4. O blogue ficou bem mais bonito agora, tanto pelo post quanto pelo comentário do William. A propósito, uma vez ouvi um trecho do texto do comentário numa apresentação do Teatro Mágico. Alguém, ou mesmo o William, sabe me dizer se o texto é deles mesmo?
    Um grande beijo.

  5. Oi Pablo!
    A música completa deve ser muito boa! 🙂
    Vi um posta no blog da Maria Amália (http://nacontramaodocontrario.blogspot.com) e lembrei de você. O Post se chama “Sujeitos cheios de Predicados“. É muito engraçado! 😀
    Paulinha
    XD

  6. Conhecia sim, William. Se não me engano, foi você mesmo que me apresentou, lá na comunidade Revisores (ou será que foi outro William?). É muito bacana essa música.
    Parece que é deles, sim, Laís. Chama-se “Sintaxe à vontade”.
    Infelizmente não encontrei a música completa na internet para postar aqui, Paulinha, mas é mesmo muito interessante. Adorei o artigo do sujeito predicado. Muito engraçado. 😆

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: