Pablo Vilela

Archive for dezembro \31\UTC 2008|Monthly archive page

Renascimento

In Hora da Leitura on 31 de dezembro de 2008 at 11:20 pm

No último ano, você se lembra, fiz ousadas resoluções literárias. Não as cumpri por completo. Cheguei à metade. Algumas ficarão pelo caminho, outras ainda pretendo concluir.

Este ano não farei estimativas. Parece ser um ano para surpresas, como as tive muito boas em 2008, quando fugi às previsões. Uma das grandes foi O livro dos livros perdidos, que  apresenta a curiosa história daqueles que não chegaram a ser lidos.

Então que venham as surpresas. E que venham ótimas surpresas para você em 2009.

Foi difícil queimar o trabalho de cinco anos, realizado ao preço de uma tensão tão mórbida, do qual cada linha me custou um distúrbio nervoso. No momento em que as chamas tinham consumido a última folha do meu trabalho, seu conteúdo renasceu, luminoso e purificado, como a fênix das cinzas, e subitamente vi o quão caótico era tudo que eu havia considerado ordenado e harmonioso.

Nikolai Gogol

Anúncios

De Coração

In Cadê o Revisor? on 30 de dezembro de 2008 at 11:15 pm

de-corados1

A moda é falar de hífen. Até quem nunca usou está com a boca cheia deles. Mas não vou falar da série de reportagens que começou ontem a respeito do acordo ortográfico. Disso eu falo no próximo ano.

Ninguém mais sabe onde pôr e de onde tirar os hifens. Nem mesmo a academia tem certeza. Nem a Academia.

Enquanto não se resolvem, o comerciante, que precisa driblar a crise nas vendas de Natal, resolve-se como sabe: arranca todos eles, até de onde não dá para tirar (nem vou contar que o nome da loja não tem acento onde deveria). Papai Noel voltou desolado para o Pólo Norte, perguntando a suas renas: Hohoho, Cadê o Revisor?

Altas Revisões

In Dia a Dia do Revisor on 26 de dezembro de 2008 at 8:10 pm

Nos próximos dias, você planejará o ano de 2009. Para pensar tranqüilamente é melhor fugir da agitação da cidade e procurar a natureza. revisoraEsta matéria mostra uma das várias opções para você se desligar do dia-a-dia, entrar em contato com a natureza e relaxar.

Mas você, revisor, já sabe bem disso. Reparou na profissão da moça que encerra a reportagem? Quem disse que revisor fica no escritório lendo o dia inteiro?

O Garçom

In Dia a Dia do Revisor on 24 de dezembro de 2008 at 8:13 pm

Cultivava o velho hábito de ler entre a refeição e a sobremesa.

O simpático garçom, que sempre me vira lendo, tomou coragem e, entusiasmado, perguntou o que eu lia. Uma crônica sobre a vontade de viver. Confidenciou-me que certa feita lera um único livro: O estudante (cuja autoria não conhecia). Sua aspiração é criar o hábito da leitura. Pediu-me sugestões.

Neste Natal, Papai Noel trará crônicas de presente.

Organização

In Dica do Mês on 23 de dezembro de 2008 at 3:05 am

Uma das principais qualidades do revisor é a organização. Mais que qualidade, é necessidade. Se o erro gosta de se esconder, prefere os trabalhos desorganizados.

retranca

Imprimir é sempre o primeiro passo. Por maior que seja o texto, divido-o em blocos de até vinte páginas devidamente grampeadas (o clipe é inimigo do revisor). Nomeio cliente e trabalho. Numero páginas e cadernos. Detalhes nunca são demais.

Organizar-se é um bom começo para a revisão impecável (ao lado, modelo de retranca para ajudar na organização).

Receita

In Outras Revisões on 19 de dezembro de 2008 at 12:01 pm

Receita pra lavar palavra suja

Viviane Mosé

Mergulhar a palavra suja em água sanitária.
Depois de dois dias de molho, quarar ao sol do meio-dia.
Algumas palavras quando alvejadas ao sol
adquirem consistência de certeza. Por exemplo a palavra vida.

Existem outras, e a palavra amor é uma delas,
que são muito encardidas pelo uso, o que recomenda esfregar
e bater insistentemente na pedra, depois enxaguar em água corrente.

(…)

Uma palavra limpa é uma palavra possível.

Onde Vivemos

In Dia a Dia do Revisor on 18 de dezembro de 2008 at 10:10 pm

Vem do Todoprosa a dica desta bela animação que comemora o aniversário de um selo editorial americano. O título do filme diz algo como É aqui que vivemos (numa tradução livre). Ele mostra um personagem recortado de dentro do livro, andando por uma cidade de livros. Criativo, delicado e encantador.

Bela Atrocidade

In Dia a Dia do Revisor on 15 de dezembro de 2008 at 2:34 am

il_430xn49000498Beleza e atrocidade. A Cássia definiu perfeitamente com essas duas palavras a arte da Carambatack (qualquer semelhança com suas Carambolas Azuis haverá de ser mera coincidência).

O trabalho consiste na crueldade de arrancar páginas de livros antigos, muito antigos, e fazer delicadas ilustrações sobre elas, transformando-as em cartões decorativos, etiquetas, adesivos e o que mais você seja capaz de imaginar.

O resultado é lindo, mas dói só de pensar como tudo começou.

Meus Livros

In Outras Revisões on 14 de dezembro de 2008 at 1:02 am

Já apaixonado por livros, recitei esta poesia há anos, ao me formar em Língua Espanhola. Quem me presenteou com ela foi o querido mestre Carlos Luz.

A poeta foi o primeiro Nobel de Literatura de nossa América Latina. Minha tradução é livre (saiba que estou longe de ser especialista).

Meus livros

Gabriela Mistral

Livros, calados livros das prateleiras,
Vivos em seu silêncio, ardentes em sua calma;
Livros, os que consolam, veludos da alma,
E que sendo tão tristes nos fazem a alegria!

Minhas mãos de dia ao desejo se renderam;
Mas ao chegar a noite os buscaram, amantes,
No buraco do muro onde como semblantes
Olham-me confortando-me aqueles que viveram.

Destempero

In Preciosidades on 11 de dezembro de 2008 at 3:07 am

A moça destemperou-se com estilo e a Helô fez a gentileza de nos mostrar.

Essa gente acha que vírgula é tempero de texto. Vai logo salpicando um punhado.

Lia

Frase de Vidro

In Outras Revisões on 7 de dezembro de 2008 at 2:52 am

Mais um ano vai chegando ao fim. Hora de organizar a vida para começar bem o próximo. O bom adicto de informática inicia justamente por um caprichado becape (não se esqueça de fazer o seu). E foi ordenando meus arquivos que encontrei esta epígrafe em um antigo texto de meu amigo Thiago, grande revisor cearense, criador da comunidade Revisores.

Frase de vidro

Ferreira Gullar

Quem tem frase de vidro não joga crase na frase do vizinho.

Livros Vivos

In Dia a Dia do Revisor on 3 de dezembro de 2008 at 1:07 am

Parece uma daquelas metáforas para deixá-lo curioso sobre o conteúdo do artigo. Não parece. É. Mas guarde a curiosidade por alguns segundos.

Todo livro (ao menos os bons), de certa forma, é vivo aos olhos de quem o lê. Quando é de fato bom, acabamos nos envolvendo a ponto de nos sentirmos parte dele.

Alguém levou isso a sério demais e deu vida real aos livros em bibliotecas européias. São pessoas comuns, contando a você suas histórias que dariam um livro. Quiçá isso só tenha de livro o fato de estar em uma biblioteca, mas talvez sirva para você notar que sua vida também daria um belo livro.