Pablo Vilela

Archive for abril \29\UTC 2010|Monthly archive page

Marido Revisor

In Outras Revisões on 29 de abril de 2010 at 3:39 pm

Na visão de uma escritora e tradutora.

Marido revisor

Índigo

Depois de tantos anos escrevendo, ouço:

– Você assumiu o hífen de vez, né?

– Como?

– O hífen que você usa nos seus diálogos, no lugar do travessão. Depois eles mudam tudo. Você sabe, né?

– Eles quem?

– Os revisores, nas editoras. Todos esses hifens aí acabam virando travessão, você queira ou não.

– Mas eu nem tenho travessão no meu teclado.

– Ninguém tem.

– Ué! Então como as pessoas fazem?

– Não sei se você já reparou, mas quando estou trabalhando, de vez em quando você não escuta um trááá-tá-TÁ?

– Nunca reparei.

– Repare. Esse trááá-tá-TÁ sou eu mudando hifens para travessão.

– Ah…

– É um recurso especial.

– Ah…

– trááá-tá-TÁ

– Tá bom. Já entendi.

Revisor Neonazista

In Cadê o Revisor? on 27 de abril de 2010 at 5:18 pm

Feliz com a aquisição do livro de receitas, separa os ingredientes para sua primeira delícia. Pavor. Acrescentam-se ao sal pessoas negras recém-moídas.

A editora australiana incinerou, por causa do erro, o livro de culinária. A receita confundia black pepper (pimenta-do-reino) com black people (pessoa negra).

Ainda se recuperando do sobressalto, pergunta: Cadê o Revisor?

Tevê x Livro

In Outras Revisões on 26 de abril de 2010 at 8:01 am

O artigo tratava dos livros de meu idolatrado avô. O jornal, egoísta, não nos deixa ler online.

Tevê x livro

Eduardo Almeida Reis

Deu-se que fiquei cinco dias sem tevê por motivos que não vêm à balha. Antigamente, o philosopho escreveria “que não vem a pelo”, mas a imbecilidade humana tirou o chapeuzinho de pelo deixando a locução “vir a pêlo” meio desengonçada. E balha é muito mais chique que baila.

O Mau Cliente

In Dia a Dia do Revisor on 25 de abril de 2010 at 12:20 am

O Cliente detestou a revisão, avisa o ríspido Editor.

O Revisor relê sua memória para entender como pudera errar tanto. Incapaz, pergunta humilde onde foi que errei?

Não importa. Está tudo errado. Pagamento cancelado.

Protesta, não se acanha. Prova. Vence.

Dedicado à revisora que recebeu no tribunal o que lhe é de direito.

Livros, Livros, Livros

In Outras Revisões on 17 de abril de 2010 at 10:16 pm

Livros, livros, livros

Ivana Arruda Leite

Livros, livros, livros. Quando tudo me falta, os livros estão presentes.

Livro é pão quente saído do forno matando a cada dia a fome que não passa.

Um dia me deitei à sombra de uma jaqueira no Sítio do Picapau Amarelo e nunca mais saí de lá. É de onde eu escrevo.

Minha história está toda contada nos livros. Eles são meu esconderijo e minha trincheira. Neles aprendi o que sei da vida.

Unidade de Medida

In Dica do Mês on 16 de abril de 2010 at 11:57 pm

Você escreve com espaço a unidade de tempo? E a de distância e peso? Que tal a de temperatura?

Então por que você escreveria com espaço a unidade monetária? Quando retira o espaço, você evita quebras malfeitas.

Mens Sana in Corpore Sano

In Dia a Dia do Revisor on 15 de abril de 2010 at 7:27 am

Pouco adianta passar dia e noite estudando e trabalhando.

O revisor precisa de saúde. Saúde física e mental. É imprescindível comer bem, dormir bem, praticar atividade física.

A boa noite de sono, seguida de trabalho mais acelerado e descansado no dia seguinte, é mais produtiva que a noite virada.

Por uma Nova Literatura

In Outras Revisões on 8 de abril de 2010 at 8:39 pm

Perfeito seria caso apenas se publicassem boas obras, mas quem decidiria quais são elas?

Por uma nova literatura

Carlos Henrique Montalverne

Bem que deveria haver prêmios literários incentivando escritores a que não escrevessem; assim se evitaria a poluição gráfica.

Mês do Livro

In Dia a Dia do Revisor on 6 de abril de 2010 at 1:38 am

O fanatismo pela Estante Virtual tem motivo para aumentar.

Este mês comemora-se o Dia Mundial do Livro. A Estante promove o Mês do Livro. Você compra livros e concorre a mais livros todos os dias. Simples. Ótimo.

Soneto do Revisor (Pobre)

In Preciosidades on 4 de abril de 2010 at 12:19 am

Soneto do revisor (pobre)

Empunha uma caneta em cada mão!
Rupestre tal ofício: corrigir
os erros de quem erra ao se exprimir
com verbo, fraseado, conjunção.

Parece reescrever co’a gasta mão
os textos, numa lida qual faquir,
de novo preparado a redigir
correndo pra entregar na data então.

“Trabalha, e teima, e lima, e sofre, e sua!”
Em busca de sua paga pro aluguel.
Receio de verdade é ir pra rua.

Os olhos castigados por cinzel
pontudo da chatice da leitura
dos textos editados a granel…

Fernando Cardoso