Pablo Vilela

Archive for PM|Yearly archive page

Parênteses

In Dica do Mês on 20 de junho de 2013 at 6:26 pm

Espaçamento e pontuação dentro e fora dos parênteses são um problema constante.

O infográfico do Revisão para quê? soluciona definitivamente essa questão.

Parênteses

Anúncios

Acreditamo-nos

In Cadê o Revisor? on 17 de junho de 2013 at 7:19 pm

Tenho certeza de que você acredita no Brasil. Eu acredito. É mais difícil acreditar no que o brasileiro escreve.

O redator supôs que os japoneses não entenderiam a acentuação gráfica. Mal entendem o romaji.

Os trinta turistas japoneses que estiveram em Brasília para o ensaio de Copa sequer visitaram a rodoviária candanga para descobrir como escreve mal nosso receptivo povo.

nos acreditamos no brasil

No caminho para o estádio, só se ouvia a torcida gritando: Eô, eô, Cadê o Revisor?

Nossas Próprias Palavras

In Outras Revisões on 14 de junho de 2013 at 10:46 pm

Você acredita em suas próprias palavras?

Nossas próprias palavras

Paul Valéry

Cada um traz dentro de si todo um reservatório de frases, epítetos e locuções prontas que resultam de pura imitação. Elas nos livram do trabalho de pensar porque as tomamos como soluções válidas e apropriadas. Na maior parte das vezes, reagimos ao que nos acontece usando palavras que não são nossas. Não somos os seus reais autores. Nosso pensamento – ou o que acreditamos ser nosso pensamento – é nessas horas, meramente, uma simples réplica automática. É por isso que não devemos acreditar rápido demais em nossas próprias palavras. Quero dizer que uma palavra que vem à nossa cabeça geralmente não é nossa.

Leitura Dinâmica

In Dia a Dia do Revisor on 11 de junho de 2013 at 11:53 pm

É provavelmente impossível revisar à perfeição nessa velocidade.

Seria, no entanto, fantástico que em algumas horas nossa lista de lidos ultrapassasse a de quero ler.

Quantas páginas você lê por hora de revisão? E se lê por diversão?

Preciso retomar meu treinamento de leitura dinâmica.

Quadradinho de Oito

In Cadê o Revisor? on 8 de junho de 2013 at 12:57 pm

PopozudaComo unir no mesmo parágrafo vacinação, dança, redação, quadrado, foto, criança e popozuda? Foi o Henrique Rodrigues quem mostrou.

O desespero para encerrar tudo no quadradinho de oito (ou sete) linhas quebra qualquer paralelismo semântico, deturpa todas as leis da lógica.

O leitor termina a chamada, volta ao editorial, não o encontra. É então que se pergunta: Cadê o Editor?

Precisa-se de um Revisor

In Outras Revisões on 5 de junho de 2013 at 4:11 pm

Precisa-se de um revisor

Gabrielle Alves

Precisa-se de um revisor.
Que saiba pôr vírgulas, pontos e exclamações,
já que o sentimento que grita dentro de mim não sabe pausar.
Precisa-se de um revisor.
Que entenda tudo de verbos.
Do passado, presente e futuro.
Do perfeito, mais que perfeito e do imperfeito,
pois o sentimento a gente conjuga em qualquer tempo.
Precisa-se de um revisor.
Que ele seja atento às normas gramaticais.
Porque quando o sentimento manda,
a boca gagueja,
a língua graceja,
a garganta seca e
a escrita peca.
Precisa-se de um revisor.
Que também entenda de sentimentos,
pois onde há acertos demais,
normas demais,
acentos demais,
ali,
não há amor.

Sexismo na Linguagem

In Hora da Leitura on 31 de maio de 2013 at 11:54 pm

Cláudio MorenoO professor Cláudio Moreno é desses paladinos da língua portuguesa que não se permitem vencer por modismos. Sua Língua é afiada. Longe de ser retrógrado, é um incessante defensor da lógica, do raciocínio, do bom argumento.

Aqui ele demonstra sua competência discursiva no mais polêmico tema de nosso gramaticalmente incorreto mundo politicamente correto.

Nossa gramática não tem o “viés” (palavrinha da moda…) sexista que lhe atribuis. (…) Em primeiro lugar, essa “supremacia” do masculino que nos leva a usar convidados, e não convidadas (…) (e que faz o dicionário registrar os substantivos no masculino singular – aluno, lobo, prefeito) – essa supremacia, repito, é ilusão. (…) Por isso, quando quisermos ser genéricos, podemos usar o singular, masculino (ou seja, o número e o gênero não marcados). (…) Paradoxalmente, o gênero que exclui é o feminino: se dissermos que o aumento vai ser estendido aos aposentados, homens e mulheres estão incluídos; se for, porém, estendido às aposentadas, os homens estão fora.

As mulheres não devem sentir-se humilhadas por isso; é assim que funciona o nosso idioma.

Cláudio Moreno

Fios Brancos

In Dia a Dia do Revisor on 30 de maio de 2013 at 11:45 pm

Era um jovem revisor. A ausência de fios brancos na longa cabeleira denunciava sua idade. A excelente formação e as grandes referências que trazia no currículo credenciavam-no a atender aquele novo cliente a quem o fiel amigo o indicara.

O trabalho, mais uma vez, fora cumprido no prazo determinado, com a qualidade com que seus clientes mais antigos já haviam se acostumado. O próprio novo cliente, presidente de uma grande estatal, já o confessara por telefone. A revisão estava impecável, por isso gostaria de conhecê-lo pessoalmente. Apenas uma formalidade, para que se cumprimentassem, concretizassem o justo pagamento e prometessem futuras parcerias.

Chega o momento do encontro. Ele está tranquilo, acostumado a lidar com todo tipo de clientela. Nem se preocupa com vestimentas especiais para a ocasião.

Ao encará-lo, jovem demais para o que deveria ser um sorumbático revisor, o cliente cumprimentou-o secamente e realizou o pagamento, pensando – como supôs mais tarde o revisor – que teria sido enganado por aquele garoto sem um fio de cabelo branco. Foi a última oportunidade em que se viram.

Luso-Afonias

In Outras Revisões on 29 de maio de 2013 at 7:14 pm

Onde você quer morar?

Luso-Afonias

Mia Couto

A escrita é uma casa que eu visito, mas onde não quero morar. O que me instiga são as outras línguas e linguagens, sabedorias que ganhamos apenas se de nós mesmos nos soubermos apagar. Da minha língua materna eu aspiro esse momento em que ela se desidioma, convertendo-se num corpo sem mando de estrutura ou de regra. O que quero é esse desmaio gramatical, em que o português perde todos os sentidos.

Plurais

In Dica do Mês on 27 de maio de 2013 at 6:03 pm

Casas são plural, Correios são plural, Letras são plural, ovos são plural, lojas são plural, óticas são plural e óculos também são plural. A despeito do que se vê, plural concorda com plural.

Plurais

Dia do Profissional de Letras

In Outras Revisões on 21 de maio de 2013 at 11:56 pm

Não descobrimos quem é Beatriz Braga. Não encontramos fonte oficial que dê conta deste dia. Não sabemos sequer se o texto é prosa ou poesia. Combinamos uma versão e outra, conforme cremos correto.

Dia do Profissional de Letras

Beatriz Braga

Fazer Letras é camonear,

é machadear, é caetanear,

é cora coralizar,

mas é acima de tudo acreditar

que, pelas palavras,

podemos o mundo

transformar e humanizar.

Bicicloteca

In Dia a Dia do Revisor on 20 de maio de 2013 at 3:32 pm

Você está andando pelas ruas da metrópole e é quase atropelado por uma biblioteca ambulante.

Se criava desculpas para não ler (livro é caro, não tenho tempo de ir à livraria, nunca me lembro de comprar livros), elas estão se esgotando.

A Bicicloteca traz o livro de graça até você. Se quiser fugir, terá de correr.

Leia

In Outras Revisões on 16 de maio de 2013 at 11:20 pm

Simplesmente leia.

Armandinho

Alexandre Beck

940850_567606353284675_1702364362_n

Se Minha Vida Virasse Livro

In Preciosidades on 14 de maio de 2013 at 8:33 am

E você? Como gostaria que sua vida fosse contada?

Se minha vida fosse contada em livro, gostaria de ver as partes engraçadas relatadas por Luis Fernando Verissimo, as partes tristes por Fernando Pessoa, as românticas por Pablo Neruda, as sombrias por Edgar Allan Poe e as idealistas por Eduardo Galeano.

Jaqueline

Livrômetro

In Dia a Dia do Revisor on 13 de maio de 2013 at 12:12 am

110Quantos metros o senhor vai levar hoje? É a pergunta do livreiro ao assíduo freguês do sebo. Comprador contumaz, o mesmo não se diz de sua frequência como leitor.

Os sebos encontraram novo nicho. Aqueles livros antigos, encalhados no estoque, são vendidos a metro, artigos de pura decoração.

Agora, quando entrar naquele escritório de bela estante, perfeitamente adornada com antigos exemplares, desconfie: você pode estar diante de um requintado pseudointelectual.

Dentro de uma Biblioteca

In Outras Revisões on 8 de maio de 2013 at 10:15 am

Fascinam-me descrições de bibliotecas. Reportam-me à infância, quando admirava a biblioteca de meu avô, maravilhado com as paredes cobertas de livros. Apenas sua mesa de trabalho ao centro, com a grande cadeira de couro, onde ele passava dia e noite, lendo e escrevendo.

Subsolo

Pedro Süssekind

A biblioteca ficava numa sala muito ampla, de pé-direito alto, pouco menor que a sala de estar e separada desta por uma porta dupla de correr. Toda a parede voltada para a Baía de Guanabara era ocupada por um janelão, nas duas salas. Localizadas no fundo da biblioteca, de frente para essa parede de vidro, as prateleiras de livros ocupavam quase toda a extensão do cômodo, que observei enquanto minha anfitriã providenciava um café. Uma mesa de trabalho muito espaçosa, de madeira escura, ficava de lado para a janela, afastada um metro e meio de uma prateleira menor que se prolongava pela parede lateral da sala. Sobre a mesa havia um globo, um laptop e um atril no qual se apoiavam folhas manuscritas.

Campeão Brasilience

In Cadê o Revisor? on 6 de maio de 2013 at 2:33 pm

Parabéns ao Jacaré, que comemora o segundo turno do Campeonato Brasilience.

No próximo ano, a federação pretende fazer uma importante mudança no regulamento. O campeonato passará a se chamar Campeonato Candango, apenas para prevenir erros.

E a torcida grita: Cadê o Revisor?

Brasileiras, Uni-vas

In Cadê o Revisor? on 6 de maio de 2013 at 9:45 am

O politicamente correto (e gramaticalmente incorreto) alcança níveis mortais.

A nova vítima é a quase morta (se não morrer agora) segunda pessoa do plural.

Brasileiras, Cadê as Revisoras?

Quanto Você Lê?

In Dia a Dia do Revisor on 3 de maio de 2013 at 9:40 am

155597_515403161830033_2467908_nQual sua média mensal de leitura? Conte com os livros que você revisa.

Eu sei: você tem muito mais o que fazer. Ademais, o computador e a balada são fortes concorrentes.

Talvez valha a pena, no entanto, tentar se equiparar (apenas neste aspecto) aos presidiários candangos, que leem uma média de três livros por mês. É certo que suas opções de lazer são escassas, mas a média é digna.

Tente ler ao menos um livro por mês para fugir do vexame.

Importância do Trabalho

In Outras Revisões on 1 de maio de 2013 at 2:05 pm

book_messO grande segredo para se fazer importante é transformar o trabalho, qualquer trabalho, em algo prazeroso.

Autobiografia

Anthony Trollope

Apenas aqueles que o experimentaram são capazes de imaginar a importância do trabalho que significa deslocar e arrumar alguns milhares de volumes. Por ora, possuo mais ou menos 5 mil deles, que me são mais caros que os cavalos que vendo ou do que os vinhos de minha adega, que tendem a partir e dos quais também me orgulho.

Aprenda a Fazer Livros

In Dia a Dia do Revisor on 26 de abril de 2013 at 11:53 pm

Você já se adaptou aos originais do livro. Habituou-se a vê-lo repleto de riscos vermelhos. Está ainda mais acostumado com ele pronto, impresso.

Mas você sabe exatamente o que acontece do momento em que sai de sua mão até a hora em que volta?

Que Palavra Você Usa?

In Outras Revisões on 25 de abril de 2013 at 8:19 am

Agora, uso a dos outros. Que palavra você usa?

A palavra

Viviane Mosé

é uma roupa que a gente veste
uns gostam de palavras curtas
outros usam roupa em excesso
existem os que jogam palavra fora
pior são os que usam em desalinho
cores brigando, substantivos em luta
alguns usam palavras raras
poucos ostentam palavras caras
tem quem nunca troca
tem quem usa a dos outros
a maioria não sabe o que veste
alguns sabem e fingem que não
uns nunca usam a roupa certa pra ocasião
tem os que se ajeitam bem com poucas peças
outros se enrolam em um vocabulário de muitas
eu adoro usar palavra limpa
tem gente que estraga tudo que usa
com quais palavras você se despe?

Revisão Curricular

In Dica do Mês on 24 de abril de 2013 at 11:55 pm

curriculumFiz e recebi muitos currículos. Poucas revisões serão tão importantes em sua carreira.

Quantas vezes você revisa o texto de seu cliente? Duas? Três? Revise cinco vezes o texto que você escreve. Revise dez vezes seu currículo. Admita ainda uma revisão alheia. O menor erro é imperdoável.

Mais importa, claro, a matéria. Ampliá-lo e melhorá-lo constantemente é primordial. Preocupar-se apenas com o conteúdo é erro grave.

O revisor que tem o melhor dos currículos com o menor dos erros tem o pior dos currículos.

De Posto a Biblioteca

In Dia a Dia do Revisor on 22 de abril de 2013 at 1:19 am

Em vez de reclamar que o governo não faz, façamos. E fizeram, na cidade de Samambaia, no Distrito Federal.

Lá estava o posto policial. Na verdade, apenas o posto. A comunidade incomodou-se com o espaço inútil e decidiu transformá-lo. Transformou não só o espaço, mas a vida da própria comunidade.

Hoje o inativo posto é Cantinho da Leitura. Difundida a iniciativa, talvez um dia precisemos de menos postos policiais.

Gramática

In Outras Revisões on 17 de abril de 2013 at 10:54 am

Significados muito curiosos.

Gramática

Sérgio Rodrigues

cachaçaO mais intrigante significado da palavra gramática no português brasileiro, sabe-se lá por obra de que alambique semântico, é cachaça, aguardente de cana. Verdade, está no Houaiss.

E um dos significados da palavra cachaça, como se sabe, é mania, vício, interesse que se cultiva com paixão.

Donde podemos concluir, bêbados de metáfora, que se a gramática é a cachaça do gramático amador, é também a cachaça do cachaceiro mesmo.

Saúde!